EnglishPortugueseSpanish

NOTÍCIA

A sodomia bovina é comum em confinamentos, mas pode ser controlada

A sodomia bovina consiste no ato de um animal montar o outro e, controlá-la, é um grande desafio para pecuaristas de gado de corte.

Esse comportamento é encontrado em machos inteiros e pode levar o animal a ter lesões ou até morrer.

“A sodomia bovina é uma alteração bem comum em confinamentos e entre as principais causas está a questão hormonal, quando falamos de animais mais novos, entrando na puberdade. Esse é um motivo de levar os animais a quererem montar uns nos outros, porque com os hormônios mudando, gera essa monta constante”, explica o médico veterinário da Nutrimais Saúde Animal, Jonathas Bonaldo.

Mas a sodomia bovina pode afetar também animais mais velhos.

“Quando falamos em confinamento, em animais mais velhos, devemos pensar em alteração do manejo do confinamento. Por exemplo, a separação de lotes de animais com diferença muito grande entre porte ou idade, isso gera dominância e o animal quer dominar o outro pela monta. Quando falamos em lotação muito alta, isso também gera estresse muito alto, levando os animais a quererem montar no outro”, completa Jonathas. 

CREEP-FEEDING E CREEP-GRAZING: SAIBA A IMPORTÂNCIA DELES DENTRO DA PECUÁRIA

Também é importante que o pecuarista esteja atento para a oferta de comida nos cochos.

Quando eles não estão devidamente abastecidos, ou existe dificuldade para que os animais tenham acesso ao alimento, é gerado estresse que, muitas vezes, leva ao comportamento de sodomia bovina.

Sodomia Bovina

A sodomia bovina é mais comum em animais confinados do que entre os criados soltos no pasto.

Isso acontece porque a disponibilidade de espaço facilita o deslocamento maior do bovino que está sendo perseguido.

Com isso, o espaço reduzido dos confinamentos, a necessidade de dominância e o clima mais quente, acabam sendo um agravante.

A sodomia bovina pode atingir diferentes raças e cruzamentos, sendo um dos principais problemas registrados em sistema de confinamento.

Quando não é controlada, a sodomia bovina pode levar o pecuarista a ter prejuízos significativos que são ocasionados por:

  • Perda de peso no animal que está sendo perseguido;
  • Carcaças condenadas por contusões oriundas das montas de sodomia bovina; e
  • Perda de animais que podem morrer devido a lesões e dificuldade de ganho de peso, por montarem repetidamente.

Evite a Sodomia Bovina

Uma das práticas capazes de diminuir a sodomia bovina é a castração dos novilhos em engorda, mas é preciso cuidado ao optar por ela.

A castração pode comprometer o desempenho do gado que está confinado que ganha de 10% a 15% menos peso que o boi inteiro, um prejuízo significativo.

Existem ações que podem ser bastante eficientes no controle da sodomia bovina, causando menos prejuízos. Selecionamos algumas:

  • Sempre que possível, o produtor deve selecionar um grupo que já estava junto no pasto, para ficar junto no curral;
  • Separe os lotes por biotipos parecidos, para que os animais sigam um padrão, pois isso evita a competição. Grupos dos mochos, dos castrados, dos inteiros, dos grandes, etc;
  • O cocho deve estar sempre bem abastecido e a estrutura deve ser pensada para atender, de forma confortável e de fácil acesso, todos os animais do lote;
  • É importante que se pense em lotes menores, pois além de melhor controle da sodomia bovina, também é mais fácil monitorar a saúde geral do animal; e
  • Existem alguns suplementos e medicações homeopáticas que podem ser indicadas para atenuar o comportamento de sodomia, nesses casos é necessária a orientação de um Veterinário ou Zootecnista.

Lembre-se que, controlar a sodomia é possível, e isso garantirá a saúde e produtividade do animal.

Assim sendo, também ficará garantida uma maior lucratividade do pecuarista.

Fique atento ao seu rebanho e invista em manejo de qualidade e no bem-estar dos animais.

Fontes: Nutrimais; Cursos CPT; Agrolink: e Realh.