EnglishPortugueseSpanish

NOTÍCIA

Bem-estar na suinocultura: veja dicas para aumentar a produtividade

Investir em bem-estar na suinocultura é uma forma de atender as necessidades dos suínos, oferecendo mais qualidade de vida a eles.

Pode até parecer bobagem, mas, segundo dados da Embrapa Suínos e Aves, negligenciar o bem-estar na suinocultura chega a uma perda de 0,15% do produto que é desembarcado nos frigoríficos.

O percentual parece pequeno, mas quando somado alcança um montante de R$30 milhões, que o mercado perde todos os anos.

A preocupação com o bem-estar dos animais, que acaba levando a um produto de melhor qualidade, tem sido uma exigência dos consumidores, e isso vale também para a suinocultura.

Para que o porco se sinta bem no espaço que habita, e em condições adequadas, uma das necessidades primárias é que tenha conforto físico, pois assim diminui os riscos de sua saúde de ser afetada, bem como o de desenvolver quadros de estresse.

Bem-estar na Suinocultura

Selecionamos uma série de cuidados específicos que, sendo seguidos, irão aumentar consideravelmente o bem-estar na suinocultura. Acompanhe a seguir.

  • Alimentação – deve ser balanceada, nutritiva e na quantidade necessária para que os porcos se sintam saciados.

Tudo deve ser proporcionado de forma adequada, levando em consideração a fase produtiva dos animais, pois eles têm algumas particularidades.

Contar com a assessoria de um profissional habilitado é uma boa opção, pois ele saberá avaliar do que os porcos estão precisando.

Para o bem-estar na suinocultura, os animais precisam ter acesso facilitado aos cochos, para que possam se servir livremente, de uma forma que não exista competição pelo alimento.

A higiene do espaço é outra preocupação, pois a sujeira pode contaminar os alimentos e causar problemas de saúde para os animais.

A Nutrimais Saúde Animal oferece o +Suínos, que é um concentrado destinado aos suínos de todas as idades e em todas as suas fases de criação.

Associado aos aditivos probióticos e prebióticos, (mananoligossacarideos  e glucomananos), levedura seca de cana-de-açúcar, aminoácidos, macro e microminerais, deve ser misturado a outros ingredientes para formulações de rações, de forma que garanta o consumo na proporção de quatro gramas do concentrado por animal/dia.

  • Água – Deve estar sempre disponível, ser fresca, limpa e acessível, por isso tenha atenção com a altura dos bebedouros. 
  • Conforto térmico – o local que abriga os animais deve estar preparado à esse bem-estar necessário para a suinocultura. A temperatura do local deve variar entre 10 e 25 graus, preferencialmente.

Usar sobra de árvores, ventiladores e até espaços com lama, ajuda a equilibrar a temperatura e dar melhor qualidade de vida aos porcos.

Como os prebióticos, probióticos e leveduras atuam na saúde dos animais?

A ventilação é outro detalhe a ser avaliado, pois ambientes muitos úmidos estão mais aptos a abrigarem doenças e propagá-las.

  • Instalações – devem ser limpas e adequadas, sem que existam riscos para os animais se machucarem, como equipamentos espalhados, desníveis no piso, fios soltos e objetos pontiagudos pelo local.

Outro detalhe é que seja possível a circulação, pois os porcos devem se movimentar com tranquilidade, isso faz parte do bem-estar na suinocultura.

Na hora do descanso, o mais indicado é que se ofereça um piso sólido e seco, preparado para não acumular água, e que o espaço seja coberto, para os porcos não ficarem expostos a variação climática.

  • Parto – é preciso ter um espaço separado para o parto, onde a mãe possa também ficar com o filho recém-nascido.

O uso de gaiolas individuais é proibido pelas normas do Certified Humane. É preciso um espaço confortável, onde mães e filhotes possam ficar durante o primeiro mês de vida dele, assim ele inicia sua jornada dentro dos preceitos do bem-estar na suinocultura.

  • Abate – é de extrema importância que os profissionais que atuam nas granjas, ou no transporte dos animais até o abate, estejam devidamente preparados.

O correto manejo irá garantir o bem-estar na suinocultura, diminuindo os riscos dos porcos sentirem medo, dor e estresse nesse período pré-abate.

  • Normas – no Brasil existe um sistema de normas e fiscalização, como as boas práticas elaborados pelo Mapa – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, que traz uma série de orientações. 

Em dezembro de 2020 foi estabelecida a Instrução Normativa 113, relacionada ao bem-estar animal da cadeia produtiva de suínos.

O documento trata de instalações e práticas de manejo, com orientações alinhadas às diretrizes da Organização Mundial da Saúde Animal. 

Fontes: Nutrimais; Nutrição e Saúde Animal; Certified Humane; Marangoni; e Suinocultura Industrial