EnglishPortugueseSpanish

NOTÍCIA

Fazer uma correta ordenha bovina influencia na qualidade do leite

Pecuaristas do segmento de gado leiteiro sabem que o processo produtivo demanda uma série de cuidados, e um dos mais importantes está relacionado com a ordenha correta.

Quando feito de forma adequada, o manejo da ordenha reduz a contaminação por micróbios, além de preservar as características químicas e físicas do leite.

A ordenha correta é aquela realizada de forma rápida e que seja eficiente o bastante para preservar a saúde das vacas.

Quando o processo de ordenha não é feito da forma correta, seja pelo mau uso da ordenhadeira, ou pela pouca habilidade manual de quem está realizando o processo, isso vai prejudicar a produtividade e, como consequência, impactar no lucro.

Para não correr esse risco, o ideal é que, em propriedades maiores, onde a ordenha é mecânica, a equipe passe por treinamento para que se adapte bem ao processo.

E onde o volume de animais é menor, e a ordenha é manual, também é necessário que as pessoas que realizam a tarefa saibam a forma certa de proceder.

Anatomia é importante para a ordenha

Conhecer a anatomia e fisiologia do úbere das vacas, o comportamento do animal durante a lactação, o manejo e funcionamento da ordenhadeira, e todo o protocolo de higiene, influencia de forma direta na saúde do animal e qualidade do leite produzido.

Além disso, quem tem contato direto com as vacas precisa redobrar os cuidados com a própria higiene, para evitar contaminar o leite com micro-organismos.

Invista na correta higiene das mãos, que devem ser lavadas com água e sabão, além de alguns locais optarem também pelo uso de luvas.

É preciso atenção com os cabelos ou roupas, para que não entrem em contato com o leite, e contaminem o alimento. O uso de botas próprias e aventais são bem-vindos.

Todo o cuidado com a higiene também deve ser levado até o curral, ou sala de ordenha, que precisam estar limpos no momento de retirar o leite das vacas. O balde onde será coletado o leite, assim como os demais utensílios, inclusive os de ordenha mecânica, precisam ser bem limpos, para não correr o risco de qualquer infecção.

Os profissionais responsáveis pela ordenhada devem ser calmos, ainda que uma ou outra vaca tenha temperamento mais difícil, pois se perder a paciência, o animal também ficará sobressaltado, o que irá dificultar ainda mais o processo.

Vacas que sofrem maus tratos reduzem cerca de 10% da produção de leite. 

Ordenha Correta

Organizamos os principais passos para a realização da ordenha correta. Acompanhe para sanar suas dúvidas sobre o processo.

  • As vacas que serão ordenhadas devem ser separadas de acordo com a saúde de suas mamas, sendo: vacas sadias; vacas que já tiveram algum problema no úbere e foram tratadas; e vacas com mastite clínica que estão em tratamento, sendo que o leite destes animais deve ser descartado.
  • Faça a lavagem dos úberes sujos com água limpa.

Em algumas propriedades, antes da ordenha mecânica, é utilizada uma solução desinfetante nos tetos das vacas, à base de clorexidina e iodo, mas é necessário ter orientação técnica para que a dosagem seja ideal.

Em ambos os casos seque com toalha de papel descartável.

  • Os três primeiros jatos o leite devem ser descartados, mas antes é preciso observar se o leite está com aspecto normal. Grumos e coágulos podem indicar alteração, que inclusive são comuns em casos de mastite clínica.

Também observe os tetos e sistema mamário das vacas para se certificar sobre a presença de edemas, calor, assimetria e endurecimento. Se algo for percebido o ideal é isolar a vaca e depois cuidar da ordenha e saúde dela de forma particular.

Pecuária leiteira: Veja dicas para aumentar a produção de leite das vacas

  • O processo de ordenha, em si, deve ser completo e rápido. Logo após o teste inicial, onde há o descarte do leite e também sua observação, são colocadas as chamadas teteiras, que devem estar bem ajustadas para evitar o deslizamento e a entrada de ar.

Caso entre ar acontece a flutuação de vácuo no sistema, podendo causar lesões nos tetos das vacas. E se houver a queda das teteiras durante a ordenha, pode acarretar no fluxo inverso do leite, levando sujidade para as glândulas mamárias.

A ordenha não deve ser parada antes que o processo completo seja concluído.

Isso porque o hormônio responsável pela liberação do leite, que é a ocitocina, age entre cinco a sete minutos, sendo que nos três ou quatro minutos após a preparação se ordenha 70% do leite da vaca.

Faça a troca das teteiras a cada 2500 ordenhas, verificando a pressão de vácuo diariamente.

Como aumentar a produção do seu rebanho com a nutrição animal correta

  • Quando o processo de ordenha finaliza é necessário fazer o desinfecção dos tetos, usando a mesma solução do início. Essa ação é capaz de reduzir os casos de mastite subclínica, de forma bastante significativa.
  • Para que as vacas fiquem de pé após o fim da ordenha é indicado oferecer alimentos. O ideal é que ela não deite por até duas horas após o processo, pois seu esfíncter fica aberto, e mais sujeito aos micro-organismos do ambiente.
  • Quanto ao leite, para que mantenha a qualidade e não corra o risco de estragar, precisa passar por um coador de náilon e depois ser resfriado de maneira adequada.
  • Mantenha sempre os mesmo horários de ordenha, pois o organismo dos bovinos se acostuma com o processo.
  • Não se esqueça de deixar a sala de ordenha devidamente higienizada, logo após a retirada dos bovinos, pois isso acelera o processo na hora de realizar a próxima ordenha.

Fontes: Jornal Dia de Campo; Cursos CPT; Milk Point; Vet Profissional; e Fundação Roge.